quinta-feira, 2 de novembro de 2017

PRAÇA DR. AUGUSTO GONÇALVES


Projeto de Lei 212/53 - CEP 35680-054
Denomina logradouro público: Praça Dr. Augusto Gonçalves

O nome primitivo era Largo da Matriz, dado pelos primeiros povoadores segundo a tradição portuguesa, ainda hoje vigorando em Portugal. Nome homologado pelo Conselho Distrital, em 18 de abril de 1892, sob a presidência do dr. Augusto Gonçalves e dos conselheiros capitão Miguel José de Faria e João Antônio da Fonseca.
Em 25 de outubro de 1930, por Portaria nº 159 o prefeito Arthur Contagem Vilaça deu ao antigo, histórico e tradicional Largo da Matriz o nome Praça João Pessoa, em homenagem ao grande líder paraibano.
Pelo Decreto-Lei nº 24 de 28 de outubro de 1938 do prefeito dr. Lincoln Nogueira Machado, o nome da praça é modificado e passa ser denominado Praça Mário Matos, em homenagem ao itaunense Mário Gonçalves de Matos. Ainda no mesmo ano, o nome da praça seria novamente modificado pelo Decreto-Lei nº 29 de 10 de novembro de 1938 passando a chamar-se Praça Benedito Valadares, em homenagem ao interventor do Estado de Minas Gerais, Benedito Valadares, nomeado pelo presidente Getúlio Vargas. 
O professor Guaracy de Castro Nogueira informa — quem dá nome a logradouros públicos é o povo, através dos vereadores e do consenso da Câmara Municipal. Só em regimes autoritários é que o Prefeito ou a autoridade executiva dá nomes às coisas.
 Dois nomes de logradouros em Itaúna foram impostos pelo governo ditatorial na década de 30 — Avenida Getúlio Vargas, que era rua e Praça Benedito Valadares, local principal da cidade, que se tornaram nomes dos detentores do poder na época, por força de decretos. Com a queda de Getúlio e Benedito na década de 40, populares arrancaram a placa com nome de Benedito Valadares da praça principal, o qual, não era bem quisto na cidade, cuja a administração de seu governo havia motivado a desoficialização da Escola Normal em 1938.
No ano de 1953 o prefeito Victor Gonçalves de Souza, sanciona a Lei nº 212 do dia 29 de dezembro alterando pela 4ª vez o nome da praça para Praça Dr. Augusto Gonçalves, permanecendo até os dias de hoje.




DOUTOR AUGUSTO GONÇALVES DE SOUZA MOREIRA
BIOGRAFIA

Augusto Gonçalves de Souza Moreira nasceu no arraial de Santana do São João Acima, aos 29 de julho de 1861, filho de Manoel José de Souza Moreira e sua esposa d. Anna Joaquina de Jesus, originários de Bonfim. Cursou o tradicional Colégio Caraça e graduou-se, em medicina, em janeiro de 1888, pela conceituada Faculdade do Rio de Janeiro. Faleceu em 20 de maio de 1924.
Foi constituinte de 1891, deputado à primeira e segunda Legislaturas Republicanas e prefeito de Itaúna, por cinco mandatos. Sua vida se confunde com a própria existência do município, do qual foi o criador, e, por sua ação, exemplos e ensinamentos, ele se tomou, por consenso unânime de seus concidadãos, a mais exemplar e importante personalidade de toda a nossa história municipal.
A modéstia, a bondade e a obstinação ao cumprimento do dever foram as principais características da fecunda personalidade do dr. Augusto Gonçalves de Souza Moreira. Era ademais, sóbrio, culto, digno, conciliador e exemplarmente honesto. A medicina para ele, competente e caridoso, foi exercida de forma verdadeiramente sacerdotal. Ao longo de 35 anos, com simplicidade e mansidão evangélicas, dia e noite, a todos atendia no consultório de sua residência, que não possuía, sequer água encanada, ou, então, em toda a área rural de Santana e dos municípios próximos, que percorria incessantemente, a cavalo, por difíceis caminhos. Somente uma pré-condição existia: não cobrar ou aceitar pagamento dos pobres, pois tratava-se de compromisso a ser fielmente cumprido, ao longo de toda a sua existência, fato singular e honesto da história do município, transmitido pela tradição oral e confirmado pelo testemunho unânime de seus contemporâneos e de todos aqueles que sobre ele escreveram.
Dr. Augusto, a seu modo, com a sua serenidade. Desambição, fé e energia ghandianas, foi, em realidade, no plano municipal, sem cultivar o radicalismo inadmissível em sua harmônica personalidade, um revolucionário, por sua ação e sua obra, como porta voz das causas mais nobres, trabalhador incansável pela melhoria das condições de vida da população, indutor do progresso, renovador das estruturas sociais, agente e símbolo de luta pela emancipação política, e, finalmente, o criador do município de Itaúna.
A fixação do dr. Augusto Gonçalves de Souza Moreira, no mês de janeiro de 1888, em sua terra natal, após completar sua formação cívica e intelectual, no colégio Caraça e faculdade no Rio de Janeiro se caracteriza como momento decisivo, visto que a sua personalidade baliza os dois períodos básicos em que se divide a história municipal. Em 1887 termina a fase pioneira do povoamento do território e da estruturação do arraial e do distrito de Santana, para dar-se início ao efetivo movimento da criação do município de Itaúna, com o seu despertar para o desenvolvimento harmônico e global.
A esta tarefa, dr. Augusto Gonçalves de Souza Moreira entregou-se, por inteiro, pois, Itaúna, para ele, não seria um trampolim político, tema para estéreis e elitistas discursos e debates de natureza ideológica, mas, sim, o devotamento e a paixão de toda uma existência.

Dr. Augusto Gonçalves de Souza Moreira



REFERÊNCIAS:
Pesquisa e Organização: Charles Aquino
Colaboradores: Patrícia Gonçalves Nogueira, Guaracy de Castro Nogueira (In Memoriam) e Miguel Augusto Gonçalves de Souza (In Memoriam).
Acervo: Instituto Cultural Maria Castro Nogueira
Projeto de Lei dos Logradouros: Prefeitura Municipal de Itaúna
SOUZA, Miguel Augusto Gonçalves de. História de Itaúna, BH, Ed. Littera Maciel Ltda, 1986, p.101. Vol.1.



0 comentários:

Postar um comentário